LKSHOW II

SHOWTIME! Estamos aqui, diretamente do Rio de Janeiro (naquele calor de 80ºC) para a segunda edição do L.K.S.H.O.W! Hora de sentar, pegar seu doritos, fechar o xvideos (depende, as vezes alguma palavra será a chave para a sua imaginação, seus safadinhos). Hoje temos muitos assuntos. Tivemos um Pay Per View, um evento de luta livre de verdade, o melhor RAW do ano, uma crowd incrível, Vince McMahon e o início do #ROMANEMPIRE. Tá na hora do pau.

CADEIRAS, MESAS E ESCADAS 2015

No último domingo, a WWE nos trouxe o último Pay Per View do ano, o TLC. O evento começou com o pé direito, Sasha Banks contra Becky Lynch foi um ótimo combate, adoro o modo que as duas se comportam no ringue, e aquela frase não pode faltar: elas merecem mais que isso. Após o KickOff, vamos ao card principal. A primeira luta é uma Ladder Match pelo Título de Duplas. CARALHO, QUE LUTA FODA. (pausa para cantar Criolo) Os spots foram muito bons e particularmente gosto das três duplas. A New Day reteve os cinturões, e deve reter para sempre, porque NEW DAY ROCKS! NEW DAY ROCKS! NEW DAY ROCKS!

Dando continuidade ao nosso ritual, tivemos Rusev contra Ryback. O russão búlgaro venceu com sua famosa pegada no cangote, e é isso, passo. O próximo combate é entre Alberto Del Rio e Jack Swagger pelo o cinturão dos Estados Unidos. São ótimos lutadores, merecem um lugar melhor nos shows, mas o carisma deles me assusta, é como se uma porta estivesse entretendo a plateia. Del Rio venceu, merece, El Patrón está evoluindo. Tivemos Charlotte contra Paige, aonde nenhuma emoção foi passada, mesmo com duas das melhores da divisão feminina, seria a Divas Revolution a furada de 2015?

Agora a melhor luta do universo. Por que? PORQUE EU SOU UM VELHO NOSTÁLGICO, E NÃO IMPORTA COMO SEJA A LUTA, SERÁ FODA!!! ECW Originals, com Dreamer, Rhyno e os D-D-D-Dudley Boyz enfrentaram a Wyatt Family em uma Tables Match. Tivemos muito mais que isso. Cadeiras, Singapore Canes, latões de lixo, HOLY SHIT e ECW! ECW! ECW! Mas no final a gangue sombria de Bray Wyatt venceu (finalmente). Ótimo para elevar a moral dos gordinhos e mecânicos e manter nos corações aquecidos pelo espírito hardcore. Depois dessa luta eu fui dormir, pelo visto não perdi muito, só o 7×1 que Roman Reigns aplicou em Triple H (Vale lembrar ao nosso querido Capitain que Samoan Family >>>> Helmsley Family). Agora vamos ao RAW.

IMPÉRIO ROMANO (2015-?)

Depois de séculos do seu fim, temos o início de um novo Império Romano! Mesmo contra a vontade da Liga das Nações e do Rei McMahon, o império ascendeu após ele, o mito, o tesão, bonito e samoano Roman Reigns bater Sheamus naquele que foi o melhor RAW de 2015 (opinião de uma pessoa que assistiu 10 RAW’s no ano). A presença dos McMahons deu um up na audiência, técnica antiga da federação quando está em tempos difíceis, com direito ao patrão chamar Reigns de “féla da puta” em plena Era PG. Ele pode, ele é o chefe.

Tivemos também um segmento para dar continuidade a rivalidade pelos cinturões de duplas. O que me anima é termos duplas com sua identidade bem definida. Os mascarados, os samoanos e a New Day, que como sempre rouba o show com seus trompetes e chifres de unicórnios. Realmente, NEW DAY ROCKS! NEW DAY ROCKS! NEW DAY ROCKS!

Além disso, tivemos novamente o Team ECW na arena e novamente contra os Wyatt’s. Melhor para os meninos da escuridão, que venceram os Originals em uma Extreme Rules Match. Caras, é como vencer um time foda dentro da sua casa, e realmente era a casa dos extremos, estávamos na Filadélfia!! Isso deixa Bray e sua gangue com moral para 2016, aonde o meu pedido para o Papai Noel foi um período com Wyatt como campeão mundial, quero ver até aonde pode chegar a brutal e espetacular Wyatt Family. Fora isso, foi um RAW bom, então vamos falar de luta livre de verdade agora, nos dois próximos assuntos.

LONDRES (16.12.2015) – RIO DE JANEIRO (19.12.2015)

Há muito tempo não vivia a luta livre tanto quanto nesta semana. Além de ter visto quatro shows (inclusive um estive presente), participei do Awards deste querido site junto aos meus amiguinhos e presidentes dessa instituição chamada PipeBomb. Primeiro iremos para Londres, aonde tivemos o NXT TakeOver, que como sempre deu show de wrestling, com combates must-see, como Asuka (minha querida Açúcar) contra Emma e Finn Bálor contra Samoa Joe. Mas o que eu quero destacar é a plateia, que plateia do caralho, fez com que eu ficasse com as chants na cabeça por dias. O que dizer da chant para Bayley? Essa lindinha é a nova face carismática da empresa, ela, mais do que todos, merece o roster principal. Vamos abraçar e proteger essa mulher.

Agora vamos ao Rio de Janeiro, no escondido bairro de Vicente de Carvalho, tivemos mais um evento da FILL. E novamente o wrestling foi sentido com toda sua intensidade. Combates intensos, interação com a plateia, e novamente ela, a plateia deu um show. O essencial da luta livre (exceto no Japão) sempre será a plateia, e se o evento já é emocionante por si só, com ela participando multiplica a emoção. Sombrero Voador se tornou “SUPER CRAZY!” nas chants. Teve galera provocando o desafiante pelo cinturão de Rei dos Voadores (retido por El Garra) que entrou com uma camisa da Seleção Brasileira, gerando gritos de 7 a 1 por todo o ginásio. Tivemos os Shinning Wizards (Vitão e Tytan) colocando gorros de papai Noel, pena que isso não foi suficiente para bater o Elemento X (Pezão e Iron Charles). Um evento para recordar a vida toda, ISSO É FILL.

 

Crianças, é isso, mais um show finalizado. Leiam, aplaudam, critiquem (só não tragam nazistas para me matar, isso é apelação), vocês que fazem essa máquina girar. Próximo domingo estaremos aqui, mas durante toda a semana você pode me encontrar por aqui.

CÂMBIO, DESLIGO.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *