Saindo de casa. #ThankYouPaige

Dizem que nascer dói muito, abrir os pulmões secos como folhas em balões enormes que funcionarão durante toda existência, ver as luzes depois de passar tanto tempo no escuro, tanto tempo dentro de casa; e então o mundo dói. Na última segunda-feira Paige fez o anúncio oficial de sua aposentadoria dos ringues, poucos meses após seu retorno depois de tanto tempo fora, um retorno que era dado por muitos como impossível.

Essa menina de sotaque forte foi, durante muito tempo, O NOME do NXT quando o assunto era divisão feminina. Todos os medalhões que hoje abrilhantam tão talentosa divisão ficavam pequenos perto da novata que já cativava com sua luta e sua gimmick. Estreou campeã, teve uma feud longeva com outra aposentada, AJ Lee, e entre seus reinados como Divas Champion colocou os tijolos para que outros pés marchassem rumo a Womens Revolution.

Esses mesmos pés também caminharam sobre vidro e brasa no primeiro semestre de 2017, quando a lutadora viu o pior de nós, olhou o monstro com rosto difuso e horrendo de nome internet e ele mostrou porque é um monstro. Muitas pessoas (principalmente mulheres) passam pela mesma experiência humilhante de serem expostas a cidadãos que simplesmente não sabem respeitar o espaço individual do outro e divulgam intimidades por acharem que podem; não são poucas as que não conseguem sobreviver a isso, chegando a um precoce fim.

Paige sobreviveu, PAIGE VOLTOU. Deve ter doído, ver as luzes e as vozes gritando, mas depois de um tempo, depois que o mundo para de doer ele se torna sua casa de novo. E como é da vida, as coisas mudam e a wrestler inglesa terá de se acostumar a outra casa, longe das quatro cordas (ou não tão longe assim), aprender a nascer. Mas ela aguenta. Aonde quer que ela esteja, não importa a circunstância, tal lugar sempre será a sua casa.

#THANKYOUPAIGE

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *