Second Generation

Porque todo mundo que ser melhor que papai e mamãe, depravado leitor que certamente pensou em SEXO quando eu falei sobre isso.

Inclusive, parêntese rápido, dizem existir um livro – e acho que eu li isso em “Sobre a Escrita” do Stephen King OU ouvi no podcast Writer’s Excuses – que, para chamar atenção do frustreco que lia os manuscritos começava simplesmente com uma linha em caixa alta escrito SEXO SEXO SEXO.

Talvez isso funcione com ele e também com você, seu doente. FIM DO PARENTESE

 

Como eu disse no começo, todo mundo quer superar a gênese. O próprio ser humano de criatura quer virar criador, seja o criador do ser humano o caos ou uma véia doidona. De todas as formas possíveis tentamos superar os erros e melhorar as qualidades daqueles que vieram antes e isso se aplica ainda mais se quem veio antes for nosso parente.

Esses dias eu estava tendo uma conversa com o Joker sobre Wrestlers de segunda geração. Para você que não entende o termo, são lutadores que tiveram papaizes ou mamãezes in the business.

 

O exemplo mais fácil atualmente é Charlotte Flair. Não lembramos nem do porra do Randy Orton porque para ele é fácil superar o pai. Venhamos e convenhamos “Cowboy” Bob Orton nunca foi lá melhor que a merda, ao passo que Randy, além de um escroto, lutava a vera no começo de carreira. Depois ficou preguiçoso, mas aí é outro papo.

Entretanto, tudo muda quando falamos da Rainha. Ela tinha a sua frente um desafio único e certamente difícil de bater: conseguir se equiparar ou superar The Nate.

Jay Lethal

E não seria leviano dizer que ela realmente aceita o desafio e faz de tudo para poder ser a melhor wrestler possível, muitas vezes conseguindo. Logicamente que meritocracia – além de papo de mongol –  é para quem tem privilégios e o nome Flair abre muitas portas e dá muito poder dentro do Locker Room para a ex-campeã. Mas a qualidade da quebradora de Streaks é inegável, mesmo quando a WWE tenta forçar a barra.

 

Por outro lado a gente tem o filho do Ricky Steamboat que bem… é

Deixa quieto.

 

Não, sério, verdade seja dita. O garoto não era MUITO bom, mas estava em desenvolvimento, da mesma forma que a Charlotte não era muito boa quando começou. Infelizmente uma lesão nas costas provavelmente impeça o filho do dragão de lutar. O que é uma pena porque Ricky Steamboat tinha uma disposição que oia… do caralho.

 

Bom, da lista de lutadores que certamente não superaram o papai temos dois e uma incógnita: Cody Rhodes, Curtis Axel e Dustin Rhodes.

 

Os dois primeiros certamente não superaram seus pais, American Dream Dusty Rhodes e Mr Perfect. Sejamos francos, não é uma tarefa fácil. Pelo menos do ex-Nexus eu gosto; já do Cody Rhodes… talvez ele pense que ele se equipara ao pai e ao impacto que o velho teve dentro da luta livre mas, sinceramente? Vai ter que comer arroz, feijão e merda PRA CARALHO para chegar perto do nível do pai. Já o Dustin sempre teve muito potencial, mas as circunstâncias da vida, o booking merda e talvez uma falta de talento que está ali não nos deu a chance de ver. Dois terços dessa equação estarão no evento da AEW então vai dar para ver o estrago.

 

Certamente eu estou deixando muita gente de fora – Usos, Dave Boy Jr. e  Bray Wyatt, beijo no plexo solar de vocês – mas é porque a pessoa que me motivou a fazer esse texto merece, pelo menos, um parágrafo.

second generation wrestler tessa blanchard

Filha do absurdamente bom Tully, Tessa para mim é um exemplo de lutadora e uma das coisas que me motiva a assistir PW atualmente. Acho que o timing e o carisma dela são ótimos, a personagem é boa e porra, PORRA, ela me traz muito a vibe que os 4 Horseman tinham. Novamente, meritocracia é para os privilegiados, mas devemos ter em mente também que se formos comparar o nome Blanchard ao nome Flair, a balança pende para o lado da Carolina do Norte.

 

Sinceramente eu tenho o sonho – e eu não to de sacanagem – de ver a Tessa Blanchard como campeã da NWA. Não só do título feminino, do masculino também, aquele belt bonito e quadrado que aparentemente tinha voltado a ter importância e agora tá no cu de novo. Por favor universo, me vê isso ai e um psiquiatra novo, o resto nois dá um jeito.

 

Meu psiquiatra era tão bom que foi demitido.
Bom dia.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *