Semanalfabeto 5# – Backlash 2018 e o resto da semana.

Primeiramente feliz dia das mães para você que é mãe e para vossas respectivas mães também. Vocês são fodas.

A edição dessa semana acabou atrasando um dia então eu peço que me perdoem. Tive alguns problemas de saúde misturados a preguiça, trabalhos remanescentes da faculdade e um aniversário no meio para embolar o balaio todo. Passamos disso, apesar de alguns trabalhos ainda estarem na fila.

Já que eu não podia furar a edição, vou falar só do assisti nos últimos 7 dias, sem comentar muito a fundo porque… review semanal não é algo que eu tenha habilidade para fazer. Louvado seja o Joker que tem paciência e proficiência para tal, é admirável.

Inclusive, antes de começar, leia o RPS.

Começando.

Assisti o Backlash na segunda-feira, contrariando o costume de assistir o PPV do mês juntos dos apátridas que compõem esse site. Com isso foi possível, reforçado pelos comentários do redator supracitado, constatar o seguinte: assistir PPV gravado é muito mais rápido do que ver ao vivo. A razão é até bem obvia, já que no gravado você pode pular propagandas, promos e algumas partes da luta que realmente não está acontecendo nada.

É a maneira que a empresa planejou que você consumisse o produto? Provavelmente não.

É a maneira certa de consumir? Para mim foi a menos cansativa em relação ao Wrestling; as conversas no Skype são sempre um evento bem mais divertido.

Sobre o show em si tivemos uma luta de destaque e uma quase lá, o resto foi bem descartável. O destaque foi Rollins vs Miz, luta em que ambos trabalharam de maneira sincronizada, construíram uma lesão sem entediar o público e ainda conseguiram encaixar suspense na mistura, usando seus 20 minutos de apresentação com total competência. Rollins é um campeão preciso, fez defesas de título muito boas até esta luta e, em uma brand como o Raw, na qual o Campeão principal raramente aparece, serve muito bem como title holder. The Miz foi um ótimo desafiante, fazendo com o campeão a melhor luta de seu reinado até agora; o atleta recém transferido para o Smackdown tem-se mostrado bem além de suas performances sofríveis de anos atrás, com um personagem muito sólido e de trabalho constante. Apesar da WWE tê-lo encaixado em algumas feuds longas demais, ele não saturou e seus personagens periféricos como Maryse e Miztourage eram usados muito bem. Com sua ida para a Brand azul, é provável que este se envolva com Daniel Bryan, feud a muito esperada (lembrando que Miz já está classificado para a Money in the Bank Ladder Match).

Já para Rollins o caminho parece ser mesmo o do Intercontinental Championship, uma vez que os planos para a Shield morreram com a lesão de Dean Ambrose e, espero muito por isso, a WWE não volte com aquela merda de feud contra o Jason Jordan quando este voltar aos ringues.

A luta quase lá foi AJ Styles vs Shinsuke Nakamura pelo título da WWE.

Já é a terceira luta em que se enfrentam sob a marca da WWE e até agora somente uma dessas lutas teve uma decisão propriamente dita: Wrestlemania 34 onde AJ bateu Nakamura e reteve seu título. De lá para cá Nakamura foi um heel um tanto hábil, AJ passou a ser um face com uma crescente “sede de vingança” e isso ocasionou nas duas lutas com final aberto, uma por double count-out e outra por no contest. As lutas, apesar de boas, acabam quando a coisa parece que vai engrenar. Pode ser uma jogada esperta da WWE para levar a uma última luta grandiosa no Main Event de algum PPV futuro; também pode ser um puta tiro no pé, tornando o enfrentamento, tão aclamado pelos fãs, em uma luta extremamente saturada que não conseguiu chegar ao ápice que foi o Wrestle Kingdom 10.

O resto do PPV foi chato, apesar de, em algumas lutas, ter havido bastante esforço por parte dos participantes. Os segments também não foram nada além do aceitável.

No mais essa semana eu assisti a reprise do Smackdown através do Main Event. Veja só que deplorável. Além de ficar surpreso com a derrota do Bryan para o Rusev de forma limpa, também assisti Charlotte vs Peyton Royce que foi bem legal e, no Main Event em si (não o show principal, mas sim o show… principal) tivemos Zack Ryder vs Curt Hawkins.

Não prestei atenção, mas pelo que lembro o Ryder penou pra vencer o Hawkins. Esses puxa-sacos do Edge…

Antes de começar a escrever isso aqui o Luan me falou uma contagem de palavras para preencher, mas eu não lembro, então vamos ficar com essa que temos agora.

Tenham uma boa semana, sejam bonzinhos um com os outros. Pesquisem, aprendam, leiam muito, assistam muito, falem pouca merda e escutem pouca merda. Até semana que vem.

Um comentário em “Semanalfabeto 5# – Backlash 2018 e o resto da semana.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *